RÁDIO BPA

TV BPA

Aquaponia: como funciona a piscicultura que pode trazer benefícios à pecuária

Processo sustentável apresentado pelo Instituto de Zootecnia utiliza resíduos dos tanques de peixes para produzir grãos e forragens que vão alimentar o gado, economizando recursos e protegendo o meio ambiente. Resíduos da piscicultura podem ser utilizados na adubação de lavouras para alimentar o gado Agrishow 2022 em Ribeirão Preto, SP
Érico Andrade/g1
Melhorar as cadeias produtivas tendo como premissa a sustentabilidade é ponto pacificado no agronegócio. A pesquisa ajuda a construir caminhos que tragam benefícios aos cultivos e às criações, protejam o meio ambiente, otimizem recursos , claro, tragam lucratividade ao produtor rural.
Um dos centros de pesquisa interessados na integração sustentável do agronegócio é o Instituto de Zootecnia (IZ), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo, que atua diretamente em estudos para melhorar a qualidade do rebanho e preservar o meio ambiente.
Na Agrishow 2022, feira de tecnologia e inovação que termina nesta sexta-feira (29) em Ribeirão Preto (SP), o Instituto de Zootecnia apresenta o sistema Aquapec, que une piscicultura de recirculação e aquoponia à pecuária.
A aquoponia, técnica que também foi iniciada na secretaria, é um sistema que une a piscicultura de recirculação com a hidroponia, que é o cultivo de vegetais sem uso de solo.
Vegetais cultivados na prática integrada da aquaponia, piscicultura junto com lavoura, na Agrishow 2022 em Ribeirão Preto, SP
Érico Andrade/g1
O pesquisador científico e responsável pelo modelo, Fernando Salles, explica que ao alimentar os peixes, eles não conseguem absorver todos os nutrientes que estão presentes na ração, desse modo acaba gerando uma quantidade grande de nutrientes que ficam dissolvidos na água.
Essa água rica em nutrientes passa por um sistema hidropônico, onde as plantas estão localizadas, e as alimenta. Posteriormente, a mesma água, mas filtrada, volta para o tanque de peixes, completando o ciclo.
Além dos nutrientes diluídos na água, existem resíduos sólidos, ou seja, os dejetos dos peixes que têm que ser retirados. “Eles vão formar um fertilizante que está sendo estudado para a segunda fase do Aquapec, que é a utilização diretamente no solo”, afirma Salles.
Minifazenda modelo do Instituto de Zootecnia mostra o funcionamento da aquaponia integrada para a pecuária Agrishow 2022 em Ribeirão Preto, SP
Érico Andrade/g1
No campo da técnica associada à pecuária, Salles afirma que os dejetos da piscicultura são utilizados como adubos ricos para produção de grãos e forragens que alimentam o gado, não sendo necessário uso de fertilizantes químicos ou outros adubos de fora desse sistema.
A forragem aquapônica também garante alimento aos bezerros, completando um ciclo com economia de recursos, além de dar um destino adequado para os dejetos da piscicultura.
“O Aquapec trabalha com duas vertentes. A primeira é a produção de uma forragem aquaponia de alta qualidade, que deverá ser destinada aos animais bovinos, leiteiros, jovens, animais que estão naquela fase de transição para desmamar. E a segunda vertente do projeto é a utilização do resíduo da recirculação na adubação de pastagens e lavouras de sistemas de integração com pecuária.”
Veja mais notícias da Agrishow 2022
Vídeos: Tudo sobre Ribeirão Preto, Franca e regiãog1 > EconomiaRead More

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *