RÁDIO BPA

TV BPA

Gente do campo: morango vira fonte de renda para casal que saiu de MG atrás de emprego em SP

Laurindo e Luzia se tornaram donos de uma área com mais de 100 mil pés de morango após 30 anos trabalhando na produção. ‘É preciso ter coluna boa’, brinca ela. Gente do campo: casal deixa de ser meeiro para produzir morango
Foi na plantação de morango em campo aberto que o casal Laurindo Cordeiro da Silva e Luzia Soares da Silva encontrou o sustento da família. Há 30 anos, os dois saíram de Veredinhas, Minas Gerais, para tentarem algo novo em Jarinu, interior de São Paulo.
Uma oportunidade de serem agricultores em uma área de morangueiro mudou o rumo dos dois.
“Nós éramos vizinhos. Laurindo trabalhava com cana-de-açúcar e eu na roça também. Foi quando um primo falou para ir pra Jarinu porque ele estava conseguindo trabalho. A gente, então, decidiu largar tudo para ganhar a vida”, conta Luzia.
GENTE DO CAMPO: série do g1 apresenta pessoas inspiradoras do agro
DE ONDE VEM O QUE EU COMO: g1 vai à ‘capital do morango’ e explica por que ele não é fruta
Na nova cidade, os dois encontraram vagas para serem meeiros em uma plantação de morango. O nome meeiro é dado para todo agricultor que planta e colhe o alimento, e participa de toda a etapa da produção. No fim da colheita, ganha-se parte dos lucros junto com o dono da área.
“Fomos aprendendo como o plantio de morango não era fácil. Teve um ano que um tornado destruiu tudo. No outro, veio geada. Mas nunca desistimos. Insistimos na atividade e fomos continuando aqui, criando nossa família”, diz Luzia.
Laurindo Cordeiro em sua área de plantação de morango
Fabio Tito/g1
Leia também:
Mulher vive há quase 50 anos transformando cipó em arte
Cooperativa fundada por mulheres do semiárido baiano produz doce preservando a caatinga
Laurindo ressalta que o trabalho com o morango mostrou que tudo deve ser feito com zelo. “Precisa caprichar bem no plantio. Entender um pouco da produção porque se não souber complica. É trabalhoso até chegar na colheita. Morango não é brinquedo não”, enfatiza.
Após décadas, o casal conseguiu comprar uma área há sete anos e se tornou o responsável pelas terras. Atualmente, os dois têm mais de 10 funcionários e vendem morango para todo o estado de São Paulo.
“É a realização de um sonho, conquista de uma vida sofrida. Valeu a pena tudo”, comemora Luzia.
De onde vem o que eu como: morango
Luzia Soares da Silva em plantação de morango, em Jarinu
Fabio Tito/g1
De onde vem o que eu como: morango
Fábio Tito/g1
Luzia da Silva trabalha há mais de 30 anos com morango
Fabio Tito/g1
Colheita de morango por Laurindo Cordeiro
Fabio Tito/g1
Plantação de morango do Laurindo Cordeiro, em Jarinu
Fabio Tito/g1
Morangos após colheita em sítio de Jarinu
Fabio Tito/g1
Conheça mais gente do campo:
Gente do campo: mulheres transformam fibra da bananeira em artesanato no Vale do Ribeira
De lavrador a produtor: como o café especial mudou a vida do Ivan
Mais vídeos do ‘De onde vem’:
De onde vem o que eu como: banana
De onde vem o que eu bebo: o café especial que faz o Brasil ser premiado no exterior
De onde vem o que eu como: salada toma ‘banho’ com sabão e pode até se ‘afogar’g1 > EconomiaRead More

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *