RÁDIO BPA

TV BPA

Putin concede título honorário a brigada acusada de cometer crimes de guerra em Bucha

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, concedeu nesta segunda-feira (18) o título honorário de “Guardas” à 64ª Brigada Independente de Fuzileiros Motorizados, acusada pela Ucrânia de participar da matança de civis na cidade de Bucha. As informações são da rede Radio Free Europe.

O decreto assinado por Putin destaca o “heroísmo e coragem pela força e méritos demonstrados pela brigada em combate para defender a Pátria e os interesses do Estado em condições de conflito armado”.

Civis mortos nas ruas de Bucha cidade ucraniana (Foto: reprodução/Twitter)

De acordo com o Ministério da Defesa ucraniano, a unidade cometeu crimes de guerra durante a ocupação de Bucha, uma cidade a noroeste de Kiev.

O conselheiro presidencial e negociador ucraniano Mykhailo Podolyak disse, por meio de uma postagem no Twitter nesta segunda (18), que a Rússia “continua a rir da cara do mundo”. E acrescentou: “Putin concedeu o título honorário de ‘guarda’ por ‘heroísmo e coragem’ à brigada estacionada em Bucha. Pelo assassinato de crianças e estupro de mulheres, você quer dizer?”.

While someone is debating whether crimes in can be called genocide, continues to laugh in the face of the world. Putin awarded the honorary “guard” title “For heroism and courage” to the brigade stationed in Bucha. For the murder of children and rape of women, you mean?

— Михайло Подоляк (@Podolyak_M) April 18, 2022

O Kremlin negou as acusações sobre o massacre e exigiu que líderes ocidentais não façam “acusações gratuitas”. O governo russo ainda alega que o episódio foi encenado, de modo a justificar novas sanções do Ocidente e interromper as negociações de cessar-fogo.

O Massacre de Bucha

Os corpos de dezenas de pessoas foram encontrados nas ruas da cidade ucraniana de Bucha quando as tropas locais reconquistaram a área, três dias após a retirada do exército russo. As imagens dos mortos foram divulgadas pela primeira vez no dia 2 de abril, por agências de notícias, e chocaram o mundo.

As fotos mostram pessoas mortas com as mãos amarradas atrás do corpo, um indício de execução. Outros corpos aparecem parcialmente enterrados, com algumas partes à mostra. Há também muitos corpos em valas comuns. Nenhum dos mortos usava uniforme militar, sugerindo que as vítimas são civis.

“O massacre de Bucha prova que o ódio russo aos ucranianos está além de qualquer coisa que a Europa tenha visto desde a Segunda Guerra Mundial”, disse ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, em sua conta no Twitter.

Após a divulgação das cenas chocantes, o presidente norte-americano Joe Biden pediu mais uma vez que Vladimir Putin seja julgado por crimes de guerra. “Vocês devem lembrar que fui criticado por chamar Putin de criminoso de guerra”, disse o líder norte-americano. “Bem, a verdade é que você viu o que aconteceu em Bucha. Isso garante: ele é um criminoso de guerra. Mas temos que reunir as provas”.

Moscou, por sua vez, nega as acusações. Através do aplicativo russo de mensagens Telegram, o Ministério da Defesa russo disse que, “durante o tempo em que a cidade esteve sob o controle das forças armadas russas, nenhum morador local sofreu qualquer ação violenta”. O texto classifica as denúncias como “outra farsa, uma produção encenada e provocação do regime de Kiev para a mídia ocidental, como foi o caso em Mariupol com a maternidade“.

Entretanto, imagens de satélite da empresa especializada Maxar Technologies derrubam o argumento da Rússia. O jornal The New York Times realizou uma investigação com base nessas imagens e constatou que objetos de tamanho compatível com um corpo humano aparecem na rua Yablonska entre 9 e 11 de março. Eles estão exatamente nas mesmas posições em que foram descobertos os corpos quando da chegada das tropas ucranianas, conforme vídeo feito por um residente da cidade em 1º de abril.

Os mortos de Putin

Desde que assumiu o poder na Rússia, em 1999, o presidente Vladimir Putin esteve envolvido, direta ou indiretamente, ou é forte suspeito de ter relação com inúmeros eventos, que levaram a dezenas de milhares de mortes. A lista de vítimas do líder russo tem soldados, civis, dissidentes e até crianças. E vai aumentar bastante com a guerra que ele provocou na Ucrânia

Na conta dos mortos de Putin entram a guerra devastadora na região do Cáucaso, ações fatais de suas forças especiais que resultaram em baixas civis até dentro do território russo, a queda suspeita de um avião comercial e, em 2022, a invasão à Ucrânia que colocou o mundo em alerta.

A Referência organizou alguns dos principais incidentes associados ao líder russo. Relembre os casos.

O post Putin concede título honorário a brigada acusada de cometer crimes de guerra em Bucha apareceu primeiro em A Referência.

Read More

Putin concede título honorário a brigada acusada de cometer crimes de guerra em Bucha

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, concedeu nesta segunda-feira (18) o título honorário de “Guardas” à 64ª Brigada Independente de Fuzileiros Motorizados, acusada pela Ucrânia de participar da matança de civis na cidade de Bucha. As informações são da rede Radio Free Europe.

O decreto assinado por Putin destaca o “heroísmo e coragem pela força e méritos demonstrados pela brigada em combate para defender a Pátria e os interesses do Estado em condições de conflito armado”.

Civis mortos nas ruas de Bucha cidade ucraniana (Foto: reprodução/Twitter)

De acordo com o Ministério da Defesa ucraniano, a unidade cometeu crimes de guerra durante a ocupação de Bucha, uma cidade a noroeste de Kiev.

O conselheiro presidencial e negociador ucraniano Mykhailo Podolyak disse, por meio de uma postagem no Twitter nesta segunda (18), que a Rússia “continua a rir da cara do mundo”. E acrescentou: “Putin concedeu o título honorário de ‘guarda’ por ‘heroísmo e coragem’ à brigada estacionada em Bucha. Pelo assassinato de crianças e estupro de mulheres, você quer dizer?”.

While someone is debating whether crimes in can be called genocide, continues to laugh in the face of the world. Putin awarded the honorary “guard” title “For heroism and courage” to the brigade stationed in Bucha. For the murder of children and rape of women, you mean?

— Михайло Подоляк (@Podolyak_M) April 18, 2022

O Kremlin negou as acusações sobre o massacre e exigiu que líderes ocidentais não façam “acusações gratuitas”. O governo russo ainda alega que o episódio foi encenado, de modo a justificar novas sanções do Ocidente e interromper as negociações de cessar-fogo.

O Massacre de Bucha

Os corpos de dezenas de pessoas foram encontrados nas ruas da cidade ucraniana de Bucha quando as tropas locais reconquistaram a área, três dias após a retirada do exército russo. As imagens dos mortos foram divulgadas pela primeira vez no dia 2 de abril, por agências de notícias, e chocaram o mundo.

As fotos mostram pessoas mortas com as mãos amarradas atrás do corpo, um indício de execução. Outros corpos aparecem parcialmente enterrados, com algumas partes à mostra. Há também muitos corpos em valas comuns. Nenhum dos mortos usava uniforme militar, sugerindo que as vítimas são civis.

“O massacre de Bucha prova que o ódio russo aos ucranianos está além de qualquer coisa que a Europa tenha visto desde a Segunda Guerra Mundial”, disse ministro das Relações Exteriores da Ucrânia, Dmytro Kuleba, em sua conta no Twitter.

Após a divulgação das cenas chocantes, o presidente norte-americano Joe Biden pediu mais uma vez que Vladimir Putin seja julgado por crimes de guerra. “Vocês devem lembrar que fui criticado por chamar Putin de criminoso de guerra”, disse o líder norte-americano. “Bem, a verdade é que você viu o que aconteceu em Bucha. Isso garante: ele é um criminoso de guerra. Mas temos que reunir as provas”.

Moscou, por sua vez, nega as acusações. Através do aplicativo russo de mensagens Telegram, o Ministério da Defesa russo disse que, “durante o tempo em que a cidade esteve sob o controle das forças armadas russas, nenhum morador local sofreu qualquer ação violenta”. O texto classifica as denúncias como “outra farsa, uma produção encenada e provocação do regime de Kiev para a mídia ocidental, como foi o caso em Mariupol com a maternidade“.

Entretanto, imagens de satélite da empresa especializada Maxar Technologies derrubam o argumento da Rússia. O jornal The New York Times realizou uma investigação com base nessas imagens e constatou que objetos de tamanho compatível com um corpo humano aparecem na rua Yablonska entre 9 e 11 de março. Eles estão exatamente nas mesmas posições em que foram descobertos os corpos quando da chegada das tropas ucranianas, conforme vídeo feito por um residente da cidade em 1º de abril.

Os mortos de Putin

Desde que assumiu o poder na Rússia, em 1999, o presidente Vladimir Putin esteve envolvido, direta ou indiretamente, ou é forte suspeito de ter relação com inúmeros eventos, que levaram a dezenas de milhares de mortes. A lista de vítimas do líder russo tem soldados, civis, dissidentes e até crianças. E vai aumentar bastante com a guerra que ele provocou na Ucrânia

Na conta dos mortos de Putin entram a guerra devastadora na região do Cáucaso, ações fatais de suas forças especiais que resultaram em baixas civis até dentro do território russo, a queda suspeita de um avião comercial e, em 2022, a invasão à Ucrânia que colocou o mundo em alerta.

A Referência organizou alguns dos principais incidentes associados ao líder russo. Relembre os casos.

O post Putin concede título honorário a brigada acusada de cometer crimes de guerra em Bucha apareceu primeiro em A Referência.

Read More

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *